8 de out de 2016

O ateísmo que a sociedade insiste justificar

porque o ateísmo incomoda tanto


Se fala muito sobre religião, mas fala-se pouquíssimo sobre a falta dela.  Fala-se muito em amor a deus, confiança e viver sobre os ensinamentos dele, mas fala-se pouco de como vive aqueles que não compartilham da mesma crença hereditária.  Simplesmente pelo fato de que se falar em ateísmo é visto como uma afronta ao mundo teísta.

Sou ateia, já faz um bom tempo, na verdade existe um ciclo que considero ser parte, nascemos ateus completamente livres desta abstração,  descrentes e sem conceitos religiosos, com o tempo somos domesticados, doutrinados a acreditar em algo, depois de um bom tempo caminhamos sem influências (pelo menos deveria ser) para aquela religião que nos promove a paz com relação a todas as nossas dúvidas,  nos encontramos. Mas quando o ateísmo é essa resposta porque proferir essa informação incomoda tanto?

Não quero fazer desse post um conjunto de argumentos, muito menos hastear bandeiras até porque é desnecessário, proselitismo muito menos,  mas quero levar você leitor cristão ou não a uma reflexão do porque o diferente incomoda tanto ? 

Existe uma quantidade considerável de comentários e objeções que recebo todos os dias em diversas conversas em áreas diferentes na minha vida que o assunto é "o senhor todo poderoso",  as poucas vezes (raríssimas) que exponho a minha ausência de religião e crença algumas atitudes já são previsíveis que quase já virou roteiro de filme pra mim, Primeiro susto,  
Segundo objeção, não aceitam o fato de eu não acreditar em nada e acham isso absurdo; Terceiro um discurso "de como vou pro inferno" ... às vezes esse terceiro possui variantes , algumas pessoas  quando mais carinhosas concluem que minha incredulidade é por uma grande decepção.  Querem a todo custo justificativas para tornar algo tão simples de entender "aceitável". 


A questão é, porque é tão difícil assim aceitarem que eu posso realmente não acreditar em nada? Mais que isso, porque é tão difícil aceitar que esse meu posicionamento não é proveniente de nenhuma revolta ou decepção com deus?

Em um mundo onde vivemos com extremismos religiosos matando todos os dias porque é mais difícil aceitar a descrença e justificar o desvio de conduta daqueles que matam em "nome de deus " ?

Ah! Mas ser ateu é que é o pecado, ser ateu e que é inaceitável. Precisamos em um geral rever nossa maneira de olhar o mundo e uma das coisas que aprendi com o tempo é que a religião seja ela qual for ou a falta dela não tem justificativa e nunca terá. Isso é sentimento, vai além do fundamentalismo pautáveis , tudo resume-se na junção de sentimentos e escolhas, escolher o que lhe faz bem, o que te faz completo.

Mas vamos parar ? Vamos entender de vez que não crer em nada não é nenhuma bizarrice pra ser recebida com tamanha rejeição?  Sejamos todos solidários, sejamos humanistas, eis a base de uma construção sólida de vida em comunhão, falastes de tudo, mas falastes com respeito e sem rejeição as diferenças humanas. Esse deveria ser o norte de toda nossa caminhada.

Finalizo esse post com uma frase de Chico Xavier " Aquele que acredita realmente na sua religião, não tem tempo e nem necessidade de criticar a fé dos outros."


16 comentários:

  1. Minha querida, receba aí as minhas palmas daqui, e te aplaudo de pé, porque a sua colocação, o seu texto e a forma simples com que falou de algo que não é para ter mistério algum foi simplesmente fantástico. Parabéns! Seja o que quiser, o importante nessa vida é ser feliz e não ser hipócrita. Adorei mil vezes. Sou espírita, mas sou filha de ateu com católica. Uma boa mistura, e no meio de tudo isso o que tem que prevalecer é o respeito ao próximo independentemente se tem ou não religião, se acredita ou não em Deus, ou na pedra, na árvore, no trovão, não importa. Adorei e adorei! E amei a frase de Chico Xavier.
    Beijo, beijoooooo!
    She

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sheila é um prazer enorme te ter aqui comentando meu post e prazer ainda maior saber que você gostou. Com toda razão o respeito é o que deve prevalecer, você realmente é uma mistura boa, poderíamos conversar qualquer dia para que eu possa saber como é viver com diversas influencias e referências religiosas. Um grande beijo e volte sempre.

      Excluir
    2. Podemos conversar sobre isso sim querida, querendo é só me chamar depois lá no inbox. Virei mais vezes por aqui, gosto muito do seu blog, beijo, beijoooo

      Excluir
  2. A verdadeira religião é Amar ao próximo como a nós mesmos, respeitar a vida e a plenitude. Ajudar aos órfãos e necessitados. Isso ninguém fala, mas as pessoas julgam de forma tão natural a liberdade de escolha, Eu tenho religião, sou evangélica. Respeito a todas as opiniões, mas nada tira da minha mente que o amor é a base de tudo, além do perdão, respeito, sabedoria e graça. Se olharmos para essas coisas saberemos que o bem maior é o amor. A base de tudo não é a Religião. O importante é saber dentro de nós de onde viemos e para onde iremos. Críticas não levam a nada. Realmente tenho que concordar com você que devemos rever a nossa maneira de olhar o mundo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Leninha minha querida amiga, concordo com você se aprender-mos acima de qualquer coisa AMAR saberemos respeitar o próximo. Jesus Cristo, apesar de eu ser ateia para mim é um grande personagem, ele disse "Assim, em tudo, façam aos outros o que vocês querem que eles façam a vocês; pois esta é a Lei e os Profetas.
      Mateus 7:12" o que nada mais é do que saber amar o outro e ter respeito. O dia que o mundo aprender isso não precisaremos classificar religiões pois nossa religião será o amor, puro e único.

      Excluir
  3. Amei o texto Dayana e compartilho da mesma opinião!! Mas confesso que ainda não me considero 'ateia', rs, estou mais para agnóstica...Não no sentido de acreditar ou não em deus ou deuses, eu não acredito, mas tenho por mim uma sensação ou vontade mesmo, que exista algo espiritual além de nossos olhos, acho q é muito filme de ficção que ando vendo, rsrs.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi ELiana, que bom te-la por aqui, amiga acho que essa classificação é dispensável, devemos respeitar nossos sentimentos e evitar rotular o que somos porque na verdade somos muito mais do que só isso.

      Excluir
    2. Rótulos são inevitáveis. Até o cara que vai em uma igreja "sem nome" vai em um lugar e é chamado de alguma coisa por quem o vê de fora. Melhor é conhecer-se a ponto de saber qual rótulo pessoas que pensam iguais a você se sentem mais confortáveis em aceitar.

      Excluir
  4. Ótimo texto
    Gostaria de deixar como dica mudar o tamanho da fonte, no meu monitor ficou extremamente pequena. Claro que é só dar zoom, mas você pode perder leitores por esse detalhe ;)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigada pela sugestão, sem dúvidas vou levar em consideração e já ate entrei em contato com a programadora solicitando o mesmo. Grande abraço e volte mais vezes.

      Excluir
  5. Sem dúvidas, um ótimo texto.
    Mas não adianta escrever isso e dizer:
    "nascemos ateus completamente livres"
    Não nascemos ateu ou religioso, não temos esse conhecimento, você só pode dizer não crer em algo que conhece, o mesmo serve para a religião.
    Ser ateu é não acreditar na existência de algo superior, não seu mero desconhecimento.
    "abstração, descrentes e sem conceitos religiosos, com o tempo somos domesticados, doutrinados a acreditar em algo"
    Conheço vários ateus que compartilham seu ateísmo com seus filhos, dizendo que Deus não existe, se dizer que Deus existe é, na sua visão, "ser domesticado e doutrinado", pq isso não o seria?
    Dizer que ensinar a ser ateu é ensinar a ser livre não me parece uma justificativa sólida para tal, ambas as coisas estão no mesmo patamar.
    No demais, seria isso, o seu texto poderia ser adaptado para alguns outros (vários) ateus que se incomodam com a religiosidade dos outros.
    Paz.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Vinícius, seja bem vindo e obrigada pelo seu comentário. Todas as pessoas do mundo agem de maneira diferente com relação as coisas. Vou te dar um exemplo claro e tentar ser suscinta. Eu sou ateia e não pretendo jamais passar para meus filhos ou sobrinhos ou seja lá o que for o conceito de ateísmo como verdade absoluta. Pelo contrário quero que assim como eu eles tenha contatos com todas as religiões para que quando mais velho possa por si só fazer suas escolhas. Mas reconheço que não são todos os ateus que fazem isso, assim como também não é todo religioso que dá a liberdade para que seus filhos escolham o que quer acreditar na vida, alguns o fazem outros o doutrinam a força. Mas como disse no inicio do comentário, no mundo existem milhares de maneiras de se lidar com cada assunto e cada pessa lida de uma maneira diferente, não podemos jamais é rotular e dizer que tudo será assim .

      Com relaçao ao meu texto discordo de " texto poderia ser adaptado para alguns outros (vários) ateus que se incomodam com a religiosidade dos outros", a todo momento deixem bem claro que meu intuito nao era jamais passar minha conclusões como ateia, só quis abordar um pouco do que vivo (leia minha experiência) no dia a dia e com a rejeição das pessoas sobre uma escolha tão simples.

      Mais uma vez obrigado pelo seu comentário e volte sempre . Grande abraço.

      Excluir
  6. Parabéns Daiana pelo texto. Gostei muito do texto e da resposta q você deu ao Vinícius. O mais importante é você permitir q seus filhos conheçam a verdadeira história das religiões;e depois possam escolher se querem ou não seguir alguma.Continue respondendo com lucidez e carinho a todos. Obrigado

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá ! Obrigada pela sua visita, sem dúvidas essa será uma escolha pessoal dos meus filhos, que ainda não existem. Tenho mãe católica, sogra evangélica, primos espiritas e por aí vai, farei questão de que com idade madura o suficiente para discernir uma das outras eles tenham a possibilidade de conhecer todas. Grande abraço e volte sempre.

      Excluir
  7. Realmente é difícil para a maioria das pessoas teístas aceitarem a descrença alheia. Por isso para nós ateístas, é difícil lidar com esta pressão diária de não poder expor nossas ideias e opiniões para não chocar os teístas. Eu diria que o ateísmo só incomoda os ignorantes.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Vagner, obrigada pela sua contribuição. Na verdade no início eu até queria expor minha opinião, discutir sobre o assunto. Mas depois que as pessoas tomaram consciência do meu ateísmo eu parei completamente, não por medo de criticas ou agressões de teístas, mas porque não vale a pena mesmo a conversa em si. Só converso sobre o assunto com que realmente tem o que acrescentar. Um exemplo disso é um amigo que tenho (espirita), nunca conversei com alguém de tamanho respeito pela minha escolha, com essas pessoas sim vale a pena prosear .

      Excluir

Obrigada pela visita, Esse é nosso cantinho interativo. Fique a vontade para deixar seu comentário, saiba que todos serão lidos e respondidos com toda atenção . Lembre-se de ser educado e elegante , esta é a única regra.

Image Map