22 de jun de 2015

O fim do túnel

Estou passando por uma fase bem difícil na minha vida, de muita confusão, indecisões e incertezas, as vezes me sinto exausta por tudo isso e minha maior vontade é bater na porta da casa dos meus pai com a mesma mochila que de lá saí e dizer "Estou de volta", como se nada aqui fora tivesse existido, rebobinar a fita e reiniciar como se eu nunca tivesse ido embora. 




Eles me avisaram, por diversas vezes, "o mundo não vai ser fácil, nem sempre estará com a mesma disposição para cair e levantar e lá fora esses tropeços serão constantes". Eu não acreditei e aqui estou pela milésima vez, tropeçando e caindo, só que dessa vez sem forças para me levantar. E eu juro que não é por falta de vontade, mas confesso que por um pouco de cansaço ou incapacidade.

Cansaço, cansaço de ter que novamente segurar em algo invisível e forçar meu corpo a levantar-se quando na verdade eu queria ficar por ali mesmo, deitada, imóvel, pelo menos por um bom tempo.  

Acho que esse era o momento exato de que eu precisava de alguém, para me estender as mãos, ao invés do contrário, como sempre tem sido. Acho que esse era o momento em que eu precisava ouvir " larga tudo, deixa que eu cuido disso, deixa comigo". É mais fácil encontrar a luz no fim do túnel quando alguém nos guia.  



Postado por: Daiana de Azevedo de Paulo


Categoria: Textos

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada pela visita, Esse é nosso cantinho interativo. Fique a vontade para deixar seu comentário, saiba que todos serão lidos e respondidos com toda atenção . Lembre-se de ser educado e elegante , esta é a única regra.

Image Map