5 de mai de 2014

Janelas do Central Park - Engolida pela cobrança

Era manhã de uma segunda-feira, para Anne isso não significava nada além de mais um dia comum, em casa sem nada para fazer. Anne não tem emprego atualmente, na verdade já faz dois anos que ela largou tudo para tentar viver fazendo o que gostava, que era escrever. Escreveu seu primeiro livro de sucesso em 2003, conseguiu viver um tempo com os lucros das vendas mas com o tempo isso foi diminuindo muito e sua editora cobrava o próximo, o próximo, o próximo livro. O problema não era escrever, o problema era que "Segredos duplos" tinha feito tanto sucesso que acabou criando vida própria e nada do que ela escrevia chegava ao nível de qualidade do primeiro.





















Com dois anos tentando escrever algo que fosse considerado aceitável, Anne acabou entrando em um mundo desconhecido e sem volta. Se alcoolizava em todas as manhãs para poder ocupar sua mente, apagar a frustração.  Estava chegando ao fundo do poço. Seus dias resumiam-se em péssima alimentação, muitas bebidas e cigarros, nenhuma companhia, olhar pela janela a Nova Iorque gélida, sombria e ligações, e-mail diários de sua editora solicitando um novo trabalho, ..."Um trabalho apresentável dessa vez Anne, por favor.".


No final da tarde dessa segunda-feira, Anne havia tomado mais uma garrafa de Whisky barato sem gelo, fumado um maço de cigarros e tomado alguns remédios tarja preta para poder dormir. Sua mãe ligou perguntando como ela estava, Anne até tentou disfarçar mas sua embriaguez era transparente. O problema era que sua família não morava na fria e movimentada Nova Iorque e para encontrar sua filha Martha precisava viajar alguma horas de avião.

Após uma curta conversa com sua mãe, pois Anne bateu o telefone no gancho quase que de imediato, assim que Martha iniciou mais um discurso de se cuidar, se amar e coisa assim. Anne tirou a pouca roupa que ainda tinha em seu corpo, uma blusa branca colada combinada com uma lingerie preta,  enquanto enchia a pequena banheira de seu micro apartamento próximo ao Central Park, deitou-se dentro de uma aguá extremamente quente e e alguns minutos, exatamente em 20 minutos,  Anne começou a ver toda a sua vida passar em seus pensamentos, sua infância, seus amigos, seus irmãos, sua casa da infância, a casa de praia que seu pai havia comprado no litoral, ela de cardigã vermelho e sua irmã de vestido azul brincando na areia branca e fina, em uma tarde de sol belíssima. 

Anne faleceu nessa noite, em Nova Iorque, com vinte e sete anos, os médicos suspeitaram que pela mistura de álcool e medicamentos. Morreu na segunda feira mais um sucesso sufocado, engolido pela cobrança social e pela solidão de uma cidade grande.



Janelas do Central Park será uma serie de contos aqui no blog, sobre diferentes pessoas que moram ao redor de um dos mais bonitos centros turísticos de Nova Iorque. Hoje você conheceu a triste e decepcionada Anne. Está ansioso pela próxima história ? Fique ligado aqui no blog.



Leia as próximas histórias da série: Janelas do Cetral Park - Cortinas cinzas


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada pela visita, Esse é nosso cantinho interativo. Fique a vontade para deixar seu comentário, saiba que todos serão lidos e respondidos com toda atenção . Lembre-se de ser educado e elegante , esta é a única regra.

Image Map