16 de fev de 2014

Uma questão de opção

Hoje pela primeira vez eu percebi o quanto me tornei independente nos ultimo anos. Tomei a primeira atitude para uma vida feliz sem a dependência de outra presença humana. Vocês vão rir quando souber que atitude é essa, mas venhamos e convenhamos, toda grande caminhada começa-se através do primeiro passo.

























Vivemos em um mundo onde as pessoas são completamente dependentes umas das outras, dependente de uma segunda presença para sorrir, se divertir, viajar... Eu particularmente nunca havia feito nada sozinha, sempre que eu fazia um convite alguém e o mesmo era recusado, por maior que fosse a minha vontade eu acabava deixando pra lá... Até que isso cansa e acabamos vendo a necessidade de um basta, se queremos fazer algo não podemos deixar de fazer só porque o outro não quer, lembre-se que o mais importante você já tem VOCE QUERER... E querer meu amigo, é poder.

Fui ao cinema pela primeira vez sozinha, pode parecer meio solitário, talvez ate seja um pouco, mas foi a melhor experiência que já tive ate hoje. A sensação de estar sozinha não é uma das melhores incialmente, pois se olharmos ao redor o mundo vive acompanhado; a menina que espera na fila com seu namorado para comprar pipoca; o casal da bilheteria que não para de se beijar. Os rapazes que gargalham no final do corredor; As amigas que tiram fotografias em frente ao cartaz do filme que estão prestes a ver... O mundo nas ruas é repleto de pessoas acompanhadas. Sabem por quê? Porque todos que estão sozinhos, por mais que seja uma noite linda de sábado, calorosa e iluminada pela lua, eles não têm coragem de sair sozinhos, porque as pessoas que se encontram solitárias, preferem ver o filme em casa, por mais que não seja o lançamento tão esperado; Porque as pessoas que estão ouvindo apenas as suas roucas vozes ecoando entre quatro paredes, preferem tomar um banho gelado e dormir para esperar um novo amanhecer cheio de companhia.


Viver assim é perder o melhor que você mesmo tem para se doar, a melhor companhia do mundo é você mesmo, basta saber se educar para entender isso. Comesse aos poucos, um passo de cada vez, bem devagar... Vá à lanchonete sozinha, preste atenção nas pessoas, nas conversas paralelas, observe o garçom que há essas horas já está extremamente cansado. Procure imaginar como é a vida das pessoas que estão dentro dos carros que passam rapidamente com as luzes dos faróis acesos. Enfim, procure fazer coisas que não faz com a presença de outra pessoa, procure fazer de sua presença a melhor do mundo, Fazer-se entender que para se sentir bem basta você mesmo.

Um dia ouvi dizer a seguinte frase... “Feliz é o homem que sabe se amar e viver sozinho, este não tem a necessidade de mais ninguém, a não ser que por uma opção”.  E vamos combinar? Feliz mesmo é quem for essa opção.



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada pela visita, Esse é nosso cantinho interativo. Fique a vontade para deixar seu comentário, saiba que todos serão lidos e respondidos com toda atenção . Lembre-se de ser educado e elegante , esta é a única regra.

Image Map