14 de fev de 2013

Não deixe nada para o amanhã, esse amanhã pode não existir

A muito tempo venho com a intenção de conhecer meu irmão por parte de pai, é uma história meio longa, pois não fomos criados juntos porque quando eu ainda era criança ele saiu da nossa cidade na região serrana no Rio de Janeiro para vir morar em Macaé - tanta coincidência pois depois de muitos anos eu tomei o mesmo rumo e vim morar nessa cidade promissora. - mesmo morando perto dele, eu não consegui encontrá-lo, na verdade eu nem me esforcei para isso, todas a vezes que eu decidia conhece-lo sempre tinha alguma pessoa que me colocava para trás e me fazia desistir.




Hoje quando eu estava vindo para minha casa, depois do trabalho, recebi a notícia de que ele estava internado em um hospital daqui da cidade devido um acidente de carro na noite passada. Meu pai me ligou nervoso pedindo para que eu pudesse ver meu irmão. Fiquei extremamente preocupada, principalmente com o meu pai, que já é de idade (amor da minha vida).

Antes de ir ao hospital, liguei para o mesmo para saber notícias, a primeira atendente me ouviu - 

" Sou uma amiga de trabalho do Otoniel , que gostaria de saber do estado de saúde dele e qual é o horário de visita, o nome dele é Otoniel e o último sobrenome é Paulo" ( pois o sobrenome da mãe dele eu não sabia ao certo, apenas hoje descobri - Mendes). 

Não poderia dizer ser irmã, porque que tipo de irmã é essa que não sabe o sobrenome do irmão, onde ele mora e não tem contato com a família dele (filhos, esposa e afins) ? 

- transferiram a ligação para a segunda atendente - e para a terceira e finalmente a quarta e última, era uma psicologa ou assistente social, algo do esteriótipo.

" Senhora, não podemos passar nenhum tipo de informação sobre o paciente por telefone, você não teria como entrar em contato com a família do mesmo? " (expliquei toda a situação da amiga de trabalho, e depois de muito insistir...) "- Não poderia lhe informar senhora, pois estou quebrando uma das regras do hospital, mas por não ter nenhum contato com familiares .... sinto muito, mas ele faleceu. "






Depois dessa notícia o que me resta é confortar meu pai está sendo o mais difícil, ele está arrasado. É muito doloroso ver alguém que agente ama muito, sofrer desse jeito. Muito doloroso.  =(


Enquanto meu pai está á caminho para o funeral, passa pela minha mente diversas interrogações: 

Se eu tivesse lhe conhecido? Porque será que eu não consegui por diversas vezes levar a ideia de conche-lo para frente? O que os filhos dele pensarão de mim? Porque não tivemos a chance de ver um filme juntos? ir á praia em um domingo de sol, tomar sorvete e falar sobre a vida? Porque não pude contar que escolhi a mesma cidade para morar ? Porque não consegui perguntar o que fazia, quais eram seus medos, sonhos ?  como será ao vê-lo pela primeira vez e dentro de um caixão ? (essa imagem ficará em minha mente para sempre).

Seja qual for a resposta para tudo isso, já não importa mais. Se você que terminou de ler esse texto, sinceramente NÃO DEIXE NADA PARA O AMANHÃ, esse amanhã pode não existir.










2 comentários:

  1. Bem temos algo em comum, história de vida bem parecida enfim... muitas coisas não dependem da gente, há todo um contexto a nossa volta e muitas perguntas sem respostas. Beijinhos!
    sweetbulunga.blogspot.pt

    ResponderExcluir
  2. Meus sentimentos Bela, força, paz e fé.

    Bjos.
    Equipe Comunidade da Beleza.

    ResponderExcluir

Obrigada pela visita, Esse é nosso cantinho interativo. Fique a vontade para deixar seu comentário, saiba que todos serão lidos e respondidos com toda atenção . Lembre-se de ser educado e elegante , esta é a única regra.

Image Map