18 de jul de 2012

Mudando de casa com gatinhos

Os gatos, animais territoriais, podem sofrer muito em caso de mudança de ambiente, especialmente se for definitiva, como acontece quando a família decide morar em outra casa. O estresse ao qual são submetidos neste caso pode, inclusive, gerar males de saúde.
A boa notícia é que, com algumas medidas simples, é possível minimizar o sofrimento do bichano.












Alimentação
Gatos costumam ser bastante seletivos no quesito alimentação. E, quando submetidos a situações estressantes, costumam perder o apetite, ficando, por vezes, longos períodos sem se alimentarem e isto pode causar graves problemas de saúde.
Assim, com a mudança programada, vale diminuir um pouco a quantidade de alimento oferecido diariamente e também deixá-lo mais gostoso, com a colocação de ingredientes mais saborosos.
Com esta medida, o apetite do gato tende a prevalecer mesmo durante o período de adaptação na nova casa e, melhor ainda, com comidinhas com as quais ele já estará acostumado, evitando, assim, problemas gastrointestinais.

Objetos familiares
Nem pense na hipótese de comprar tudo novo para o bichano em razão da mudança! Além de ter que se acostumar com o novo local de moradia, o gato ainda se veria privado dos objetos com os quais estava acostumado…
Assim, mantenha e leve a mesma caminha, vasilhas para comida e água, brinquedos e caixas de areia.
Desta forma, ficará um pouco a adaptação ao novo ambiente ficará um pouco mais fácil.

Chegando na casa nova
Gatos levam um certo tempo para se adaptarem totalmente a um local novo. Eles precisam estar totalmente seguros de que não correm nenhum tipo de risco para, somente então, voltarem ao seu estado comportamental usual.
Para facilitar essa adaptação, o ideal é deixá-lo somente em um quarto da casa no início. Ali também devem ser colocados os potes, cama e caixas de areia (essas em local oposto à caminha e vasilhas, pois gatos não gostam de fazer as necessidades próximo ao local onde comem e dormem).
Pode ser que a exploração total deste ambiente leve dias, mas é preciso deixar o gato à vontade para fazê-lo em seu ritmo. No começo, ele poderá até manter-se escondido, mas a tendência é que, após constatar que não há predadores e existem locais seguros (e altos!) para servirem de “refúgio”, fique mais curioso e independente.
Somente quando o gato estiver comendo e fazendo as necessidades normalmente, bem como agindo da forma usual com os membros da família, é que deve-se liberá-lo para explorar os demais ambientes da casa.
Tudo sempre com calma, sem pressa, para dar ao bichano a segurança que ele necessita.











Cuidado com fugas!
Fique atento à possibilidade de fuga, mesmo que seu gato nunca tenha adotado este comportamento antes. Caso ele se sinta muito inseguro e encontre uma alternativa para escapar, pode querer voltar ao antigo lar e correrá o risco de se perder, ou mesmo sofrer um acidente.
Por este motivo, é aconselhável manter uma plaqueta de identificação, que pode ser muito útil numa situação como esta!
Assim, caso seja a hora de mudar, não hesite em tomar os cuidados acima, para garantir a tranquilidade que seu gatinho merece!


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada pela visita, Esse é nosso cantinho interativo. Fique a vontade para deixar seu comentário, saiba que todos serão lidos e respondidos com toda atenção . Lembre-se de ser educado e elegante , esta é a única regra.

Image Map