2 de mar de 2017

O silêncio prudente



Fazemos muito planos, nos garantimos nas coisas que construímos, comemoramos, temos o ego inflado por tudo que temos, quando temos alguma coisa.   Que atire a primeira pedra aquele que nunca falou orgulhoso de suas conquistas, que nunca encheu a boca pra dizer o que conquistou, mesmo que esporadicamente, por mais humilde que sejamos, em algum momento pecamos e queremos mostrar para o mundo o que conquistamos, o trabalho bacana que temos, a casa bacana, o carro, a viagem de férias inesquecível, as festa de aniversário, o trabalho voluntário.  

Não há nada de errado em se orgulhar disso tudo, principalmente se é fruto de trabalho honesto e muita dedicação,  só temos que ter muito cuidado, cuidado absoluto de não exagerarmos, porque por mais que façamos planos, por mais que falamos que a vida é frutos de nossas escolhas, estou aqui pra te dizer que não é não. De vez enquanto a vida nos surpreende, ela te mostrar de maneira brusca que nada daquilo que você acreditava ter realmente era seguro, que se ela quiser pode te tirar tudo e um pouquinho mais sem pena, sem pensar duas vezes.  E vociferar que tudo o que temos é fruto das escolhas que fazemos é errado, a vida reserva rasteiras que as vezes nem sabemos de onde veio, pega de surpresa mesmo, te derruba no fundo do poço e você cai nele inerte ainda tentando assimilar como foi que tudo aconteceu, ou porque tudo aconteceu. E mais uma vez cuidado com o ego, com a garantia do ter pra ser, não sabemos qual desses "ter" é seu pilar de sustentação, por hora ele pode deixar de existir e você não se manter de pé.


Lidar com perdas, seja qual for é um desafio enorme, lidar com a possibilidade de perdas é pior ainda, é sofrer com o que pode não acontecer, ou sofrer com o que pode ser inevitável.  

Tenhamos prudência, em comemorar aquilo que temos. Tenhamos prudências para se prevenir pra desastres. Tenhamos prudências na hora de se planejar o futuro, porque com vinte e cinco anos de vida eu ainda não vi nada sair 100% como o planejado, há sempre tropeços, surpresas e problemas inesperados.   

Se eu tenho um conselho? Invista em experiências, seja ela qual for, isso ninguém nos tira, invista em educação, invista em você, porque conhecimentos adquiridos não fogem do dia pra noite, talvez com o que você aprendeu hoje pode ser o que vai te reerguer amanhã.

1 de mar de 2017

Resenha: 25 verbos para construir sua vida



Título : 25 verbos para construir sua vida 
Autor: Alberto Saraiva 
Editora: Editora Planeta   
Gênero: Autobiografia
Páginas: 350
Compre: Aqui



Autor

António Alberto Saraiva é um empresário luso-brasileiro. Nascido em Portugal, veio para o Brasil com os pais com menos de um ano de idade. Foi criado em Santo Antônio da Platina, interior do Paraná, e com 17 anos foi para a capital paulista com o objetivo de cursar medicina.

Assumiu uma pequena padaria da família no Brás, bairro de São Paulo, quando o seu pai foi assassinado num assalto ao estabelecimento. Entre seus estudos e o trabalho no comercio da família montou em 1988 um restaurante especializado em comida árabe chamado Habib's na Rua Cerro Corá, bairro da Lapa.




Sinopse 

Um dos maiores empresários do país, criador e presidente da cadeia Habib's, Alberto Saraiva reúne neste livro, fruto de três anos de trabalho, as principais lições das quais se valeu para construir seu império profissional e uma vida equilibrada e feliz. Tomando como ponto de partida 25 verbos, como Conquistar, Sonhar, Persistir, Confiar, Alberto Saraiva dá conselhos diretos e claros para o leitor evoluir nos negócios e na vida espiritual e emocional. O autor repassa também os principais momentos de sua biografia, e conta como, ao herdar uma pequena padaria do pai, que havia sido assassinado, começou a construir aquela que é a maior cadeia de fast-food árabe do mundo, com 430 lojas e 22 mil funcionários. O livro conta com apresentações e prefácios de Augusto Cury, do governador Geraldo Alckmin, de Bernardinho, Washington Olivetto, Nizan Guanaes e Miguel Falabella, além de frases inspiradoras do próprio Saraiva, recém-eleito o melhor CEO do Brasil. 




Resenha 


Falar da grandiosidade desse livro não é nada fácil, são muitos pontos a destacar, porém antes de mais nada já aviso que o livro é indicado pra quem tem alma de empreendedor, de vencedor, pessoas que buscam fazer diferente nessa vida e se destacarem com seus próprios negócios. 

                                                                             ...

 " Não sabemos onde as boas surpresas se escondem. Há que se caminhar para encontrá-las" Pág. 18

                                                                             ...


No início o livro  me chamou atenção pelo autor, ler as palavras de alguém que venceu na vida, que conquistou fortuna é uma experiência que nos modifica, modifica  a maneira da gente olhar o dinheiro, os negócios, a vida. O livro de Alberto não foi diferente, ele conseguiu mudar a minha maneira de pensar com relação a diversas coisas. Eis que não poderia deixar de citar uns dos verbos que mais me modificou "Democratizar" Pag 107, esse verbo desmitificou que vender caro garanta um bom negócio. Não darei spoiler, mas como empreendedora, este verbo levarei muito em consideração. 


Sobre o título, eu sinceramente não esperava tanto dos vinte e cinco verbos, acho que por isso me apaixonei tanto no livro, geralmente é de onde não esperamos muito que surgem as coisas que mais surpreendem. Alberto discorre sobre sua história de vida usando os verbos, ele conta como começou sua trajetória simples, como aprendeu com seu pai a ser comerciante e vai nos ensinando coisas de um valor imensurável, coisas que ele aprendeu com a vida e nós temos a lisonjeadora chance de aprender lendo sua historia. A cada verbo a continuação de sua vida, a construção da mesma, a cada verbo uma lição diferente. 

                                                                            ...

"Há que ocorrer sonhos para que coisas distantes se aproximem. Sonhos alteram fatos e circunstancia; é assim que fazem o impossível se realizar " Pag 76
                                                                            ...



No final eu me surpreendi muito,  e falar que o livro foi maravilhoso é pouco para descrever, como eu me transformei como ser humano, como empreendedora, ele abriu a minha visão, expandiu as minha ideias.  Só me resta agradecer Editora Planeta pelo envio dessa grandiosa obra, que creio que perpetuará por muitos anos e o lerei novamente por diversas e diversas vezes.  Queridos leitores, mais uma vez e digo, leia livros de pessoas grandiosas, mesmo que esse não seja seu estilo de leitura, permita-se conhecer pessoas vencedoras, temos que dar uma chance para que nossos sonhos aconteça, e sem exemplos de pessoas que conquistaram, nós não evoluímos. 




Avaliação:      

17 de fev de 2017

Minha tattoo nova .. Resiliência

Resiliência .... 

"É a combinação de fatores que propiciam ao ser humano condições para enfrentar e superar problemas e  adversidades sem entrar em surto psicológico." 

...

" É a capacidade de se recuperar em situações de crise e aprender com ela. É ter a mente flexível e o pensamento otimista, com metas claras e a certeza de que tudo passa."

...

" É ir a guerra e voltar, sentar com seus demônios numa mesa de bar e... conversar, é apanhar de todo o lado e levantar, é ter espírito boxeador, dar gancho de direita nas dificuldades e nocautear a própria dor... É ter uma alma-d'água que se adapta ao co(r)po em que estiver, da melhor forma que puder."




Você pode passar a vida reclamando do que não tem, ou do que perdeu. Pode passar a vida achando que cada esforço seu foi muito e que está esgotada.  Pode passar a vida querendo as conquistas dos outros e achando que os mesmos não são merecedores de tal. Pode  passar a vida lamentando tudo o que não teve, tudo o que se foi ... Ou não ...  você pode fazer diferente, pode passar a vida tentando ser a melhor versão de todas essas coisas... 

Pode ser incansável na busca pelo que tanto deseja. Pode educar sua mente para que entenda que tudo que você  perdeu era dispensável. Pode ser R.E.S.I.L.I.E.N.T.E e se levantar de cada tropeço, passando as mãos nos joelhos para tirar a poeira e seguir com a cabeça erguida, coragem e força de vontade renovada. Pode passar a vida acreditando que você é capaz sim mesmo que isso lhe cobre mais energia.

                                                                                ...



"Dificuldades preparam pessoas comuns para destinos extraordinários. "  C.S. Lewis

...


Gastamos energia desnecessária todos os dias, com brigas inúteis, lágrimas inúteis, rancor e mágoas que não vão te levar a nada, apenas te cansar um pouco mais, então porque não direcionar essa mesma vitalidade para realizar as suas vontades? Para enfrentar as dificuldades? É mais cansativo sair do sofá e ir pra rua de cabeça erguida? Não vou te enganar não, é sim, mas não tem ideia do quando se sentirá forte e sobrevivente depois que você olhar pra trás e ver que viveu da melhor forma possível qualquer situação difícil, você se sentirá imbatível, viva, inatingível, porque afinal as piores das situações não te derrubou, não te fez se esconder no quarto e desistir de viver.

E depois de um tempo, vai entender que o melhor mesmo nessa vida e continuar vivendo e tentando, fazendo o seu melhor dentro das condições que lhe são apresentadas. Mesmo que no final você venha a não conseguir (o que acho improvável), você vai poder encher seu peito de orgulho e dizer que fez de tudo que estava ao seu alcance e até o que não estava. Vai poder falar em voz alta que você não esperou cair do céu o seu milagre e nem que esperou sentado a melhor oportunidade.  Afinal é muito melhor ouvir histórias de quem tentou e não conseguiu, elas têm algo a ensinar mesmo que seja com erros, do que ouvir histórias de quem se entregou fracamente as condições desfavoráveis.

E simmmm...  essa é minha Nova tatto, a primeira que realmente carrega um significado e que estará aqui sempre que eu precisar, para lembrar-me a imensidão da minha força que eu nem imaginava que existia.


"A força não provém da capacidade física. Vem de vontade indomável. " - Mahatma Gandhi



9 de jan de 2017

Resenha: Alice em silêncio

alice em silêncio jefferson sarmento



Título : Alice em silêncio
Autor: Jefferson Sarmento 
Editora: Scortecci Editora   
Gênero: Ficção
Páginas: 215
Compre: Aqui


Autor

Jefferson Sarmeto, é autor dos livros Velhos segredos de morte e pecados sem perdão e Os ratos no quarto ao lado. Acredita de verdade que o olhar assustado de uma menina pode esconder histórias fantásticas. 

"O que acho? Você não escolhe o ofício. Ele está em você desde eras anteriores ao Big Bang ou à Criação. Vem em suas veias disfarçado de sangue e atormenta seus passos até que você se sente diante de uma tela em branco (ou um papel em uma velha máquina de escrever, se preferir desse modo) e despeje mundos e gentes aos tropeções, até que isso faça algum sentido. Às vezes precisamos caminhar centenas de páginas para encontrar esse sentido... "







Sinopse 


Alice é apenas uma garotinha assustada, resgatada dos escombros de um deslizamento na estrada, no meio de uma tempestade feroz e destruidora. Pedro também foi arrastado com ela e esteve à beira de desistir (de escorregar, o locutor de fala arrastada repetia dentro de sua cabeça), mas aquele estranho sonho em que via a menina com seus grandes olhos azuis assustados... aquilo o fez voltar a si. Precisava tirá-la de lá!   Vagando em direção à cidade, eles testemunham a destruição e a dor dos sobreviventes da catástrofe. Desabrigados, feridos, enfermos, mortos... E em meio ao caos surge o rumor de que Alice talvez... talvez tenha curado uma pessoa quando a tocou. Poderia ser possível? Num mundo real, palpável e cruel... poderia ser possível?  Pedro insiste que não, mas talvez esteja apenas tentando protegê-la, porque a cada instante parece mais evidente que a verdade... Pedro sabe a verdade. Mas não pode contá-la. Não agora. Porque ele sabe do que as pessoas são capazes para conseguir o que querem.

alice em silêncio jefferson sarmento

Resenha 

Fazer uma resenha de "Alice em silêncio" para mim é de grande responsabilidade. Jefferson Sarmento além de parceiro aqui do blog (me presenteou com esse exemplar) também é um grande amigo que tenho muito afeto.  Eis aqui o grande problema, ser extremamente imparcial em falar do seu livro sem que eu deixe a nossa amizade influenciar. Mas eu prometo para vocês que essa resenha será a mais honesta que já fiz na vida. 

Quando Jefferson escreveu a dedicatória "Espero que se surpreenda com Alice como aconteceu com os melhores livros da sua vida" eu lembro perfeitamente de ter lido e dado um risinho pra ele dizendo "Você não está sendo convencido" , e eu acreditava fielmente nisso. Sabia que ele era um ótimo escritor mas "como aconteceu com os melhores livros da minha vida" isso já foi de mais.  E Jefferson, hoje eu lhe digo, com toda honestidade humana possível... EU ME SURPREENDI, COMO NOS MELHORES LIVROS DA MINHA VIDA e como eu digo sempre e você ri  "Estou impactada".  E digo mais... Espero que essa resenha te surpreenda como aconteceu com as melhores resenhas da sua vida...

Então vamos ao que realmente interessa, o livro começa de uma maneira completamente envolvente, já nas "Notas de agradecimentos e outras tempestades" Jefferson deixa pra gente um pouco de como se inspirou em seu livro. Curiosamente leio todos os prefácios e agradecimentos, porém sei que a maioria dos leitores pulam essa parte sem pena. Em Alice eu recomendo que faça ao contrário, ler as notas iniciais te dará uma visão maravilhosa sobre a obra, afinal quem nunca quis saber de onde veio a ideia de um autor em escrever seu livro?  Dando spoiler para vocês mas que acho de extrema relevância o livro foi inspirado em uma tempestade, uma das maiores por sinal que desaguou no final de 2002 na costa verde do litoral sulfluminense, lembro perfeitamente deste caso e acho que esse foi um dos fatores que trouxe Alice e toda sua trama para a minha realidade e saber disso me fez durante todo o livro pensar que em alguns momentos as coisas poderiam realmente ter acontecido daquela maneira, o que trouxe uma certa veracidade a história ou não...

A história então se inicia nesse cenário, enquanto Pedro o personagem principal foge de seu passado em uma noite de réveillon, uma tempestade monstruosa deságua sobre toda a costa, causando vários desabamentos. O carro de Pedro é arrastado e enquanto tenta se salvar naquela noite medonha o mesmo encontra uma menina de quatro anos de idade, com grandes olhos azuis e cabelos louros presa em um furgão que também foi retirado da estrada.   Ele consegue salva-la e então começa sua jornada em busca de sair daquele local com aquela garotinha que ele nem conhecia, mas que de alguma maneira sentia que seu nome era Alice, em busca de autoridade para que encontrasse a família dela e entre todos esse objetivos coisas fantásticas começam a acontecer...

"No fim das contas, não fui eu quem a protegi. Foi ela. Ela foi meu escudo."

O livro de Jefferson vai muito além de pura ficção, em vários trechos ele consegue captar a essência humana, passando mensagens em meio as narrativas de como o ser humano se comporta em certas circunstâncias. Ele consegue em alguns capítulos nos lembrar de como o homem (vulgo espécie) pode ser desonesto, hipócrita, falho.  Inclusive deixo aqui mais um spoiler, Pedro o personagem principal também teve diversas falhas e foi por vezes manipulador. Acredito que mais um fato interessante, humano. Quem de nós nunca falhamos? O que realmente define-se ser bom?  Até onde as pequenas falhas são aceitáveis?



" Quando eles perguntaram de Patrícia, Aldo disse que havia mandado embora, porque estava fora de si. Uma mentira que a protegia por um tempo - principalmente levando-se em conta que a dedicada esposa do morto parecia têlo esquecido. Não completamente e talvez a palavra correta não seja essa: ela havia apagado os sentimentos por ele. Sabia que o tivera mas ele não estava mais ali." Pag.162



Finalizei o livro com um sentimento de necessidade, de necessidade de que a história não tivesse acabado. Existe uma teoria que diz que os melhores livros são aqueles que ao final você se sente insatisfeito e que a insatisfação nem sempre é negativa, é insatisfação por sentir que você precisava de mais, de mais história pra ler, de continuação. Não que o livro tenha sido mal acabado, pelo contrário o final foi espetacular, surpreendente e preencheu toda a minha necessidade falha de vingança. Mas ainda fiquei com vontade de que os personagens continuasse a "existir"na minha vida. O trecho que transcrevi acima foi umas das parte que mais me emocionou antes do desfecho. Quantas vezes não senti a necessidade de apagar cada sentimento, cada dor por menor que fosse em mim, e ler um livro em que alguém fosse capaz de fazer isso como mágica foi muito libertador. Eis aqui minha fraqueza e vazio por não acreditar em algo superior que fosse capaz de me fazer isso.


Espero sinceramente que tenham gostado da resenha e que vocês possam ter o prazer de ler essa obra. Deixe aqui nos comentários o que achou, se tiver alguma dúvida deixe perguntas também que farei questão de responder. Um beijo e até a próxima.



Avaliação:      








Image Map